Blog

Projeto cria Startups com foco em acessibilidade



A acessibilidade vai além do acesso. É uma questão social da qual todos podem e devem se envolver e colaborar. É a partir dessa premissa que o projeto Mulheres de Visão nasce com o objetivo de fazer mais do que empoderar e ampliar a renda de mulheres cegas. Nesta sexta (28/08), as participantes do projeto apresentaram os três negócios, em formatos de startups, para uma banca avaliadora, que irão atender demandas do mercado relacionadas à acessibilidade.


O modelo de startup foi escolhido para a formatação dos negócios, pela especificidade inovadora de gestão, pela alta demanda dos problemas de acessibilidade no mundo, e claro, pela possibilidade de escalar com rentabilidade agregando valor às empresas, e o acesso para as pessoas com deficiência. Os negócios atuarão no mercado da moda inclusiva, educação inclusiva e comunicação com foco na audiodescrição. Os empreendimentos foram criados no modelo de Startup B2B (venda de empresa para empresa).


Descrição: foto com mulheres participantes do projeto usando mascaras. No fundo parede branca escrito câmara de municipal de Teresina.


Sobre os negócios

In-Vista Moda - Com foco na moda inclusiva, o objetivo deste negócio é oferecer os serviços de Consultoria, Treinamento e a produção de etiquetas acessíveis para a indústria têxtil.


In-Mais Educação - Foi pensado para possibilitar mais acessibilidade, respeito e soluções acessíveis nos sistema de ensino de escolas, faculdades e universidades. O foco é produzir e tornar acessíveis livros e outros documentos que possam facilitar o acesso das pessoas com deficiência visual. Além disso, o time presta consultoria e treinamentos personalizados para empresas de ensino.


Descrição da foto: Gilnara apresentando o projeto.


In-Mais Comunicação - Este é um dos negócios sociais preparados para atender a demanda de mercado, especialmente, na acessibilidade de peças publicitárias de vídeo, na TV e no Digital com a audiodescrição.



Descrição da Foto: Ana Claudia usando camiseta branca com a marca do projeto. ao fundo banner na cor verde e branco escrito mobilidade, acesso, visão.


Durante um ano e seis meses, as mulheres participantes do projeto foram capacitadas para atuar como empreendedoras. Elas tiveram aulas de autoconhecimento, política pública de inclusão, comunicação inclusiva, oratória, negociação, criatividade, empreendorismo, gestão de negócios, além de aulas nas áreas específicas de moda inclusiva, educação inclusiva e audiodescrição.

Descrição foto: Iraildon Mota de mascara branca falando no microfone. ao fundo banner na cor vermelho e branco com a marca da comradio.


Nesta jornada, as participantes são acompanhadas por mentores experientes e especializados na criação e desenvolvimento de negócios. ​Os empreendimentos criados passarão por uma fase de teste para medir a capacidade de gestão das mulheres e a viabilidade do negócio por meio do MVP - Mínimo Produto Viável. As iniciativas com os melhores resultados irão se transformar em negócios que farão parte do portfólio de serviços ou produtos acessíveis do projeto Mulheres de Visão.


Início da descrição do vídeo

Em um auditório com paredes acarpetadas na cor bege, mulheres cegas de pé em círculo, conversam sobre a apresentação dos negócios. Iraildon Mota coordenador do projeto mulheres de visão aparece no vídeo vestindo blazer preto e camiseta branca por baixo. Ao fundo, um banner na cor verde com as palavras mobilidade com acesso, ação e visão. Mulheres apresentam seus negócios de frente para avaliadores sentados. Imagem de Iraildon Mota falando do projeto. Marca do projeto Mulheres de Visão representado por uma Borboleta em três, descrito abaixo olhando além dos limites, a marca da Fundação Interamericana representada por um círculo em vermelho escrito fundação Interamericana desde 1969, e dentro do círculo um globo com o mapa do mundo. marca da Comradio representada por um balão indicando diálogo na com preta escrita Comradio Escola. final descrição do vídeo.