• Gustavo Marques

"A resiliência, para mim é a maior qualidade de vocês", disse a médica Graziela Viana.


Foto pousada com as beneficiadas, professores e colaboradores do projeto

“Uma das coisas que a gente mais conseguiu nesses últimos oito meses de projeto, foi provar para elas mesma, a partir das formações, através dos professores ministrando, e fazer com que elas acreditassem nelas mesmas”. Assim o presidente da Escola Comradio, do Instituto ILeve e coordenador do projeto Mulheres de Visão Iraildon Mota, iniciou a confraternização das beneficiadas do projeto na manhã desta quinta, 12 de dezembro.


Presidente da Escola Comradio e do Instituto Ileve Iraildon Mota

Vários parceiros e amigos estiveram presentes, como o presidente da Associação dos Cegos do Estado do Piauí (Acep), Adailton Fonseca. O presidente falou da importância do projeto.


Presidente da Associação dos Cegos do Estado do Piauí (Acep), Adailton Fonseca e a beneficiada do projeto Helena.

“Eu tenho dito, que daqui sairão mulheres realmente de visão. Vocês daqui para frente vão ainda mais conquistar seus espaços, com os pés no chão com muita segurança. Não buscando espaço por ser deficiente visual, mas sim por serem capazes de exercerem qualquer atividade”, ressaltou o presidente da ACEP.


ecretário da Secretaria Estadual para Inclusão da Pessoa com Deficiência (Seid), Mauro Eduardo

Mauro Eduardo é secretário da Secretaria Estadual para Inclusão da Pessoa com Deficiência (Seid). De acordo com ele, a sociedade necessita olhar para as pessoas com deficiência como seres capazes, mas que precisam de oportunidade. “Essas mulheres depois desse projeto vão se tornar ainda mais empreendedoras. Vão se tornar pessoas ainda mais capaz de ter o seu próprio negócio. É preciso fazer com que a gente possa ter esse direito respeitado. Somos pessoas capazes, que podemos desempenhar qualquer atividade, com seu grau de deficiência. E fico muito feliz em participar desse momento aqui com vocês porque vejo que o projeto tem realmente trabalhando nesse sentido de dar e mostrar que elas podem fazer de tudo”, afirmou o secretário.


A médica oftalmologista, Graziela Viana, pousando para foto em frente a um banner que tem uma borboleta, símbolo do projeto.

A causa da cegueira e baixa visão das mulheres beneficiadas do projeto, são diversas e assim, a equipe que coordenada o projeto, produz uma websérie que será disponibilizada nas plataformas digital, mostrando a realidade de cada caso. A médica oftalmologista, Graziela Viana é uma das profissionais da saúde que está participando da gravação, e esteve presente na confraternização. Para ela “essa troca de energia é muito importante, traz vitalidade”, disse.


A médica Graziela Viana falando ao microfone para os presentes na confraternização.

A médica anda falou das barreiras e desafios em que as mulheres a cada dia vencem. “Estava olhando aqui e tem escrito ‘Transpor Barreiras e Superar Desafios’ e isso é a essência do que é resiliência, que para mim é a maior qualidade de vocês. Ver vocês sorrindo, batalhando, participando desse projeto, as potencialidades de vocês estão sendo descobertas. E vocês estão se dando essa oportunidade”, disse a médica.


Na data, as mulheres depois das falas das autoridades presentes, trocaram presentes com os colaboradores do projeto participando do amigo oculto.

5 visualizações
  • Branco Facebook Ícone
  • Branca Ícone Instagram
  • Branca ícone do YouTube
  • Branca Ícone Spotify