• Gustavo Marques

A Mulher que Sou


As beneficiadas do projeto com as palestrantes, convidadas e o coordenador do projeto, Iraildon Mota pousando para foto.

O momento foi pensado no intuito de homenagear as mulheres, (no último dia 08 de março é comemorado o dia internacional da mulher) e mostrar exemplos femininos que estão construindo um legado de histórias marcantes na vida pessoal e profissional. “Quero que valorize o que você tem. Você é um ser, você é alguém tão importante para Deus”, esse é o refrão da música Quero que Valorize do cantor gospel Armando Filho e com essa canção iniciou o evento A Mulher que sou, na manhã desta terça-feira, 10 de março para as beneficiadas do projeto Mulheres de Visão na Escola Comradio.


As convidadas foram: a Subsecretária de Segurança Pública, delegada Anamelka Cadena, a jornalista e comentarista política Sávia Barreto e a Subdefensora Pública Geral do Estado do Piauí, Carla Yáscar.


A Delegada Anameka sentada falando ao microfone. E atrás na parede: Comradio - Mulheres de Visão


A primeira a falar foi à delegada Anameka Cadena. Ela lembrou do início da carreira. Na época a então estudante de direito ainda não havia concluído o curso e quando foi prestar a prova da OAB seu filho tinha poucos dias de nascido. “Passei no concurso com 25 anos. Estava no período da vida extremamente complexo recém-casada e com filho bebê. Para muitas pessoas isso poderia parecer uma grande dificuldade e não é a coisa mais fácil do mundo você conciliar estudo, trabalho e maternidade. É algo bem complexo, mas não é impossível” recordou a Delegada.


A Jornalista Sávia Barreto sentada falando ao microfone. E atrás na parede: Comradio - Mulheres de Visão


Sávia Barreto é uma das poucas jornalistas mulheres especialistas em política no Estado Piauí. Doutoranda em Políticas Públicas pela Universidade Federal do Piauí a convidada iniciou sua fala comentando sobre sua tese. “Eu pesquiso justamente sobre as chefias femininas, as mulheres são minorias. Por exemplo: no Estado se tem trinta secretárias só três mulheres chefiam. É muito pouco. No IBGE quando a gente vai pegar os dados às mulheres são maioria. Na Constituição somos todos iguais perante a lei, mas na prática não somos tradados iguais”, afirmou a pesquisadora.


Doutora Carla Yáscar sentada falando ao microfone. E atrás na parede: Comradio - Mulheres de Visão


A Subdefensora do Estado, Carla Yáscar foi à última a falar. Ela recordou do período da infância, e como é uma entusiasta de tudo relacionado à mulher. “A mulher é vista como frágil e isso não é verdade. As estatísticas mostram que as mulheres nascem mais e morrem menos nos primeiros anos de vida. Elas têm mais capacidade de sobreviver. Eu acredito muito que nós mulheres podemos fazer grandes coisas e principalmente quando estamos juntas, para conversar, pensar temos um olhar mais aguçado, podendo ver coisas que os homens não conseguem ter essa percepção”, ressaltou a Defensora.

10 visualizações
  • Branco Facebook Ícone
  • Branca Ícone Instagram
  • Branca ícone do YouTube
  • Branca Ícone Spotify